DIRETORES DA RIVELLI COMPARECEM EM PLENÁRIO

11 de ABRIL de 2019 às 18h52

Diretores da empresa Rivelli Alimentos S/A, sediada em Barbacena, estiveram presentes à reunião ordinária da Câmara Municipal, do ultimo dia 9, para, de maneira espontânea, apresentar um balanço sobre as atividades comerciais e sociais da empresa e, em razão de questionamentos levantados pelos vereadores em Plenário ,em sessão passada,  falar sobre a poluição do ar e  fortes odores sentidos em vários pontos da cidade.

                                               O vereador Amarílio Andrade (PSC), presidente da Câmara, antes de garantir a manifestação dos representantes  da Rivelli, colocou à disposição dos vereadores um documento, VAF /2017(Valor Agregado Fiscal), recebido da Secretaria Municipal de Fazenda, onde constam os valores  de contribuições fiscais das empresas prestadoras de serviços no município. “O VAF não deixa dúvida alguma sobre a importância de empresas do porte da Rivelli para a economia de Barbacena e região. Valores apresentados no documento demonstram que, no período de 2017, só a Rivelli, contribuiu com cerca de 112 milhões de reais para os cofres públicos e mais 11 milhões de créditos sobre exportações. É uma empresa responsável por mais de dois mil empregos diretos e, por esta razão, após consultar a Mesa Diretora da Casa, aquiescemos à manifestação da empresa, desejosa de prestar esclarecimentos aos vereadores e, por conseguinte, à toda população, sobre os fatos levantados em Plenário”, enfatizou o presidente da Câmara.  

                    O Diretor Presidente da Rivelli Alimentos, Paulo Richell Neto, se referindo aos fatos levantados, disse considerar “serem legítimos os debates ocorridos e, entendia ser papel do poder público e é correto e devido que sejam investigados e atendidos os anseios da população, desde que os debates ocorram de maneira coerente e prudente,  e levem em consideração não só uma ou outra empresa, mas todas as empresas sediadas no município”. Paulo Richell destacou que todas as falhas , quando ocorrem, são rapidamente sanadas. Aproveitando a oportunidade de se dirigir aos vereadores, Paulo Richell afirmou que é salutar, também, a efetivação de uma Comissão Especial proposta pela edilidade com a finalidade de verificar a situação de operação de todas as empresas da cidade que trabalhem com emissores poluentes. Depois de discorrer sobre o que a empresa representa para Barbacena e região, o diretor da empresa apresentou declarações de que a Rivelli Alimentos  possui todas as certificações ambientais aprovadas e que atende às exigências do Ministério do Meio Ambiente. Paulo Richell garantiu que “ os resíduos do abate passam por tratamentos com padrão de qualidade e, quando retornam à natureza, dispensados num córrego, são liberados com 97% de pureza”. A Rivelli Alimentos exporta carne de frango para cinco continentes e tem certificação internacional, caso contrário não conseguiria ganhar o mercado externo se não cumprisse as determinações de órgãos ambientais. “ O vapor, ou seja, a fumaça que as pessoas percebem nas chaminés da empresa é, na verdade, uma névoa de vapor de água que, sim, contêm odores, mas passa por um filtro biológico para que retenham  os odores, e se emita para atmosfera apenas o vapor líquido que vai se dissipar na atmosfera e virar água”, destacou Paulo Richell.  O diretor completou dizendo que foi instalado, recentemente, um novo equipamento que antes de levar os gases para o filtro biológico faz com que ele reduza o odor e a emissão de vapor. “ A legislação nos exige uma avaliação constante, acreditada por órgãos credenciados e, somente esta avaliação nos permite continuar funcionando, como estamos, dentro do que nos é exigido”, concluiu Paulo Richell.

             O vereador Flávio Maluf Caldas(PV), salientou que a função do vereador é, realmente, fiscalizar e levar adiante os questionamentos feitos pela população. No caso dos debates relacionados à empresa Rivelli, Flávio Maluf destacou que “não há nenhum tipo de pretensão dos vereadores em denegrir a imagem da empresa, muito pelo contrário, o que se pretende é priorizar à empresa apresentar as suas justificativas aos questionamentos feitos pela população, e para se chegar a uma solução viável para que as demandas sejam, efetiva e definitivamente, resolvidas”.

             A vereadora Vânia Castro (MDB), reafirmou seu posicionamento de reunião passada quando, segundo ela motivada por várias reivindicações da população, apresentou relatos da existência de odores estranhos na atmosfera da cidade. “Jamais citei qualquer empresa. Apenas solicitei que se criasse uma comissão especial da Câmara para avaliar as questões do mau cheiro que é sentido em vários pontos da cidade, conforme relatos da população”, citou a vereadora. Considerando ser prioritária a função do vereador de fiscalizar tudo o que se passa no município, a vereadora falou que é séria a questão, e se disse satisfeita com a explanação feita pelo Diretor da Rivelli, mas, entendia que seu requerimento ainda ia ser votado. “Fiquei satisfeita com todos os esclarecimentos e, mais ainda, pela demonstração de que a empresa está se adequando às normas legais vigentes”, enfatizou Vânia Castro (MDB).

                O vereador Odair Ferreira (REDE), destacou que a empresa Rivelli trabalha de forma muito séria e competente, assim também considera relevante e sério o trabalho do vereador na fiscalização, como é, da mesma forma, sério o que vem sendo feito e exigido pelo Ministério Público em Barbacena,nas questões de preservação do meio ambiente. “Pelo que foi dito pelo Diretor da Rivelli, Paulo Richell, todas as exigências a níveis municipal, estadual, federal e internacional, vem sendo cumpridas fidedignamente pela empresa, caso contrário ela não estaria funcionando gerando empregos e trazendo divisas econômicas para o município nas demandas de suprir o mercado interno e externo com seus produtos”, disse Odair Ferreira(REDE).

         O vereador Thiago Martins(PT), considerou digna a atitude da empresa ao comparecer diante dos vereadores, por seu representante, de livre e espontânea vontade, prestar os esclarecimentos necessários aos questionamentos levantados em Plenário, a partir de solicitações da população. “ A Câmara é uma caixa de ressonância e expressa o que a população questiona”, afirmou o vereador. Solicitou ao Diretor da Rivelli, Paulo Richell, informar se  existe controle dos agentes químicos que podem ser danosos à saúde da população no material que é expelido através das chaminés da empresa, no que foi respondido que “ as emissões são controladas e, se não está havendo emissão, isso não tem como se propagar no meio ambiente”. Para complementar o questionamento do vereador Thiago Martins (PT), Paulo Richell disse que, “como morador de Barbacena, também sente o mau cheiro que é verificado em vários pontos da cidade, mas podia afiançar não ser da empresa”.

            Já, o vereador Nilton Cézar (PSB), enfatizou o trabalho atuante da Dra. Elissa , do Ministério Público, que vem conduzindo de maneira segura a condução das auditorias que são realizadas na Rivelli o que trás garantia de que a empresa está trabalhando e funcionando dentro das exigências legais. “Como morador do Bairro Ipanema pude perceber,  tempos atrás, que realmente havia um cheiro que incomodava na região. Entretanto, de uns tempos pra cá o que se percebe é que este cheiro desapareceu quase que por completo, o que nos leva a crer que tenha sido a implementação de novas tecnologias no tratamento dos resíduos produzidos pela empresa”, concluiu o vereador.

             Revivendo sua fala em reunião anterior, o vereador Milton Roman(PHS) voltou a dizer que é função do vereador fiscalizar, muito embora conheça o trabalho e a importância da empresa. Assegurou já ter recebido reclamações relacionadas ao mau cheiro. Destacou que a Comissão Permanente da Câmara Municipal vem trabalhando de forma constante e permanente. “Recentemente a Comissão visitou a empresa Saint Gobain, e nos foi mostrado o investimento que está sendo feito para acabar, principalmente com o barulho e, a questão do pó, também está sendo solucionada com equipamentos de alta tecnologia. Por esta razão, entendo que também a Sain Gobain e outras empresas, sejam convidadas a comparecer à Câmara e apresentar seus esclarecimentos, como foi feito pela Rivelli”,  afirmou o vereador. Salientando que o trabalho da Comissão Permanente tem sido exemplar, Milton Roman entende que “não há necessidade de se criar uma Comissão Especial para averiguar os problemas levantados, mesmo porque o próprio Ministério Público já pediu a presença de especialistas, que vieram da Europa, e todas as denúncias foram arquivadas”.

           O vereador Edson Rezende (PT), argumentou que não apresentou pedido de formação de Comissão Especial. Salientou que a Rivelli é uma empresa com patamar de qualidade a nível internacional, não só pelos produtos que comercializa, mas, principalmente pela preocupação com o meio ambiente.  Sobre o trabalho da Câmara Municipal  o vereador disse que “ o legislativo repercute o que é o anseio da população. Os vereadores não podem se negar ao trabalho de fiscalizar e buscar solução para os questionamentos dos cidadãos”. Com relação ao que foi levantado pelo “mau cheiro” registrado em vários pontos da cidade, o vereador afirmou que “também já pôde perceber em sua residência, principalmente nas madrugadas, que há sim um cheiro muito forte no ar que não consegue ser identificado em sua origem”. No que diz respeito ao requerimento apresentado pela vereadora Vânia Castro (MDB), considera um procedimento normal de uma parlamentar que se preocupa em dar vazão aos questionamentos do povo e, em momento algum ela citou nome de qualquer empresa como responsável pelas questões ambientais. “Também já propus Comissão Especial, em 2017 e, a pedido do vereador Amarílio Andrade (PSC) fomos visitar a Saint Gobain e, como foi citado pelo Vereador Milton Roman (PHS), a empresa nos apresentou toda a tecnologia empregada para contenção de emissão de poluentes”, disse Edson Rezende (PT). Lamentou o fato de o pedido da vereadora Vânia Castro (MDB) ter ganho proporções na direção contrária ao que era a sua pretensão de encontrar a solução para os problemas que afetam o meio ambiente e a saúde do cidadão de Barbacena.