VEREADORES APOIAM MOVIMENTO DE PROFESSORES

14 de MARÇO de 2020 às 11h08

Na reunião Ordinária de quinta-feira, 12 , representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais_Seção Barbacena, estiveram presentes para apresentar aos vereadores questões relacionadas ao movimento grevista da categoria que reivindica tratamento isonômico do Governo do Estado em relação aos reajustes da classe que não está tendo o mesmo tratamento dado ao setor de segurança estadual. Aline Gizele Araújo Salvador, Coordenadora do Sindicato em Barbacena e os colaboradores , professores Mauro Rocha Batista e Maria Dagmar Nicoliello Pereira de Castro foram convidados a participar da Sessão, fazendo parte da Mesa.

O Presidente da Casa, vereador Amarílio Andrade informou que havia recebido Ofício da Direção do Sindicato solicitando o uso da Tribuna Livre, instituída regimentalmente, para poder apresentar as razões levantas pela categoria.

Valendo-se do legitimo direito de Tribuna Livre, Maria Dagmar fez um relato sobre a necessidade de manter o bem público e da escola pública, razão pela qual estão em movimento. Augurou que a sociedade entenda a luta dos servidores da educação em prol de remuneração justa e digna da atividade que desenvolvem. “Só quem está dentro sabe o que significa e a dimensão do trabalho do servidor público, principalmente servidores da área da educação”, salientou Dagmar. Para a educadora os professores e demais servidores estão sendo desvalorizados. Não estão sendo ouvidos como interlocutores pelo Governo do Estado.

Também ocupou a Tribuna Livre o Aline Gizele, professora há 14 anos e , atualmente é Coordenadora do SindUte_Barbacena.  Com relação a greve disse que cerca de 70% dos servidores estão paralisados. Citando o veto do Governador ao Projeto de Lei aprovado da Assembléia Legislativa, Aline disse que  não desmerece as outras classes de servidor público, mas a categoria não pode aceitar ser relegada a um segundo plano na luta pela recomposição salarial, enquanto outras áreas do governo do estado estão sendo atendidas. “Somos sim, não desmerecendo as outras classes, somos uma classe muito importante, primordial  e dar valor a esta classe é garantir o futuro”, concluiu Aline. Citou , ainda, o fato de parte da sociedade estar criticando a greve dos servidores, principalmente por ela ter se iniciado exatamente no retorno do ano letivo. “O governo do estado está preparando para aderir ao Regime de Recuperação Fiscal,  que deve durar pelo menos três anos e, neste período que pode ser prorrogado, nenhuma categoria poderá ter qualquer tipo de reajuste e , nenhum concurso poderá ser instituído. Tudo isso , sem se falar na Reforma da Previdência Estadual que deverá cortar direitos dos servidores”, destacou Aline.

O professor Mauro Rocha Batista , no uso da Tribuna Livre, disse que “o interesse da categoria  não é e nunca foi, em tempo algum,  a simples remediação de sintomas,  o que se quer é manter o corpo estatal saudável, porque isso traz saúde a todos , e isso não se faz sem uma política de estado que valorize a educação”. Mauro afirmou que a luta pela garantia de uma política de piso salarial não cumprida demonstra que a política de estado de valorizar a categoria foi substituída por uma política de governo que a desvaloriza. “ A educação é profissional e deve ser tratada como tal. É preciso retribuir adequadamente ao trabalho feitgo para que os vocacionados não se sintam atraídos por outras áreas de atuação”, destacou Mauro Rocha.

 

VEREADORES ASSINAM MEMORIAL EM FAVOR DA LUTA DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO.

 

                Após ouvirem os posicionamentos da representante do Sindi-Ute, Aline Gizele e dos colaboradores , professores Dagmar e Mauro, os vereadores se revesaram na Tribuna para defender a causa dos profissionais da educação.

                O Vereador Edson Rezende Morais apresentou um Memorial  assinado  , e aprovado por todos os vereadores, emprestando solidariedade ao movimento dos servidores da educação do estado de Minas Gerais. Edson Rezende enfatizou que “ apresentam total  apoio aos  servidores em greve , e suas reivindicações junto ao Governo do Estado, em especial na aplicação do piso salarial nacional da educação em acordo com a presente legislação do Estado de Minas Gerais e os valores referentes ao ano base de 2020”. O Memorial aprovado pelos demais vereadores será encaminhado à Secretária de Estado de Educação, ao Secretário de Planejamento do Estado e ao Governador Romeu Zema.

 

 

     Vereador Pastor Ewerton defende a luta do servidores.

Ocupando a Tribuna o Vereador Pastor Ewerton , vice-presidente da Câmara defendeu e parabenizou a luta dos servidores da educação na defesa de seus direitos. “ Aqui não estamos pensando em política, estamos pensando nas questões de políticas publicas, como é o caso da defesa dos direitos dos professores e demais servidores da educação, por esta razão, acho que o Governo do Estado falha, neste ponto”, citou o vereador.  Disse ainda que é muito criticado por ser favorável a obras feitas, mesmo em ano de eleição. “O povo está precisando de obras e nós precisamos apoiar tudo que é feito em prol do povo, independentemente de quando isso é feito”, citou o vereador Pastor Ewerton.

 

       Líder do Governo na Câmara apresenta solidariedade aos professores.

O Vereador José Newton de Faria, Líder do Governo Municipal na Câmara, que também é professor, citou que  tem um filho que é professor e tem outro seguindo o mesmo caminho.

“ Ser professor é escrever a história do nosso país, com  sabedoria e compromisso e, por isso a legalidade tem que ser cumprida e reivindicada”, disse o vereador.  Reconheceu que a greve dos professores é legitima e o Governo do Estado tem que atender o que está previsto constitucionalmente.

 

         Odair Ferreira diz que ser professor é uma vocação.

O vereador Odair Ferreira , em seu pronunciamento disse que o envolvimento da comunidade é imprescindível para o reconhecimento da luta dos servidores da educação. “ Ser professor é um sacerdócio diária. A missão do educador é árdua e, neste momento em que reivindicam melhorias salariais, a participação da sociedade é de suma importância, tanto como forma de pressão , como de acolhimento a toda categoria”, citou Odair. Salientou que  apresentou encaminhamentos aos contatos na Assembléia Legislativa para que apóiem o movimento dos professores e demais servidores da Educação.

Aproveitando seu pronunciamento, Odair Ferreira  disse que a Comissão Especial, formada na Câmara para tratar assuntos do Hotel Grogotó, se reuniu e ficou decidido que os representantes da ACIB, Flávio Franco e Marcelo Leitão, Presidente do Sindicomércio Barbacena foram convidados a integrar a Comissão.

          Vereador Carlos Dú diz que luta dos servidores  é justa.

As muitas críticas que são postadas em redes sociais contra o movimento grevista dos servidores da educação foram lamentadas pelo  vereador Carlos Dú . “ As críticas são injustas. O movimento dos servidores da educação é legitimo, é justo. Insisto que os professores e demais servidores não esmoreçam e continuem firmes no propósito de pressionar o Estado para que tenham seus direitos reconhecidos”, disse o vereador.

           Vereador Professor Nilton César lamenta descaso do Governo

O baixo salário dos servidores recebeu críticas por parte do vereador. Citou que o professor não tem suas atividades apenas em salas de aula, eles tem também  vida particular e, mutias vezes ao deixar as escolas ainda encontram uma série de atividades em suas residências. Apoiando o movimento dos professores,o Vereador Nilton César disse que “é preciso valorizar a classe, oferecer aos professores um salário digno e condições ideais para o desempenho de suas atividades”

               Vânia Castro também se solidarizou com educadores

A vereadora Vânia Castro se disse indignada pelas críticas que surgem contra o movimento dos professores. “Temos que entender que os professores lutando eles estão também ensinando. Parabenizo os servidores da educação pela luta democrática que desenvolvem  e, parabenizo também os alunos que estão entendendo e aprendendo com a campanha que os professores desenvolvem “. Vânia Castro citou também o mês dedicado às mulheres e convidou a todos para ouvirem o Podcast do Folha de Barbacena do qual participou falando sobre a luta das mulheres.

              Vereador Milton Roman disse que luta da educação é de extrema relevância.

Nos últimos trinta anos a educação não é valorizada. “ Nós precisamos mudar esta realidade. Mudar a forma de se pensar a educação e valorizar os professores”, citou o vereador. Criticou o pouco investimento feito em educação e saúde no Estado. “ O reajuste do Governo em prol de apenas uma categoria foi equivocado. Ele teria que dar um reajuste menor , mas que atingisse todas as categorias, principalmente os servidores da Educação”,citou Milton Roman que também conclamou a todos pressionarem as lideranças políticas para que intervenham em favor dos servidores da educação.